AMIGOS de ANDRÉ MUSTAFÁ

sábado, 5 de julho de 2008

Mustafá envereda-se pelo Teatro Noh



A vinda ao Brasil do Teatro NOH da Escola Hosho, encabeçada pelo Mestre Sano e músico instrumentista Shonosuke Okura, da Escola Okura, faz parte das comemorações do Centenário da imigração Japonesa no Brasil. O grupo irá se apresentar em 5 cidades brasileiras – São Paulo, Belo Horizonte, Ipatinga, Salvador e Brasília. Em Salvador foi realizada uma Oficina das técnicas do Noh e André Mustafá pode, mais uma vez ter o seu currículo selecionado para participar (como aluno ator) e ter contato com uma das manifestações artísticas de maior relevo no Japão e no mundo, agregando valor a sua formação de artista e cidadão.

O Teatro Noh foi a primeira manifestação artística japonesa a ser designada Patrimônio da Humanidade pela UNESCO, em 2001, tamanha a sua importância no âmbito das artes tradicionais em todo o mundo.

Foi desenvolvido e aperfeiçoado entre os séculos 14 e 15, em que a poesia, o teatro e a música se fundem entre eles. Os diversos elementos musicais são estreitamente entrelaçados numa simbiose entre o canto e a dança. Sem cenário, a descrição de cada cena repousa unicamente no texto do canto, nos gestos e movimentos do ator. São movimentos quase imperceptíveis do ator que fazem surgir aos olhos e no espírito do espectador, um universo todo poético, um mundo visto de diversos aspectos, os fenômenos da natureza e da vida.

O grupo composto pelos atores da Escola Hosho, fez uma única apresentação no Teatro Castro Alves - TCA. A Escola Hosho é uma das duas maiores e mais importantes Escolas (estilo) de Teatro Noh do Japão, sendo encabeçada pelo ator Hajime Sano, um de seus maiores expoentes. Outros grandes nomes do Noh estão também presentes no elenco: Masayoshi Ibi, Masayuki Fujii, Shonosuke Okura, Yusuke Miyake.